Minimalism – Documentário

Desde que eu comecei a ler e entender sobre o minimalismo comecei a me identificar com o que ele queria passar, como a vida poderia ser menos descomplicada e hoje assisti o documentário Minimalism no Netflix e vi que realmente eu estou me encaixando nessa vida com menos coisas, tanto objetos como roupas.Uma vida minimalista é algo tão bom, você fica mais feliz com aquilo que realmente precisa e eu estou vendo isso com o meu armário cápsula. Eu optei por esse estilo de vida por conta da compulsão de comprar coisas desnecessárias e isso só acumulava no meu guarda roupa, eu muitas vezes não tinha ideia de que roupa vestir por conta do excesso. Aquilo me frustrava todo dia, eu sempre ficava na dúvida e me no fim eu não me sentia à vontade com aquela roupa. Muitas vezes deixei de usar várias peças por comprar no impulso e deixar para lá.

Mas, o documentário não explica completamente como é ter uma vida minimalista, há relatos de pessoas que optaram por viverem em uma casa super pequena no meio da floresta e outras com o armário cápsula. Acredito que esse documentário não tinha esse propósito de como ensinar e sim como a vida de algumas pessoas mudaram quando elas se deram conta do que realmente precisavam.

Se você lê sobre o minimalismo, você poderá assistir esse documentário como um relato e principalmente para fazer com que você comece a ver as coisas que realmente necessita, ele não vai te ensinar a ter uma vida com coisas úteis, mas vai te fazer enxergar de uma forma diferente que o mundo te faz ser compulsivo e mostra que muitas coisas acabam sendo inúteis no nosso dia a dia.

Me contem se vocês praticam o minimalismo e se já assistiram esse documentário, vou amar trocar experiências com vocês.

 

6 Comments

  1. Camila Faria 26 de maio de 2017

    oi carol, tenho lido muito sobre esse documentário (coisas boas e ruins). estou curiosa para assistir e tirar as minhas próprias conclusões. me identifico com isso de menos é mais. beijo, beijo :*

    Responder
    • Carol Pinheiro 27 de maio de 2017

      Oi Ca, assiste sim, eu também ouvi muitas críticas, mas resolvi dar uma chance. Eu gostei bastante, consegui extrair um pouco de coisas que me farão bem. Beijo!

      Responder
  2. Carol Vieira 26 de maio de 2017

    acredito que minimalismo é hábito, não algo que deve ser imposto e cheio de regras. você ter consciência das suas necessidades, das coisas que você precisa ou não comprar e o que você não usa mais e pode repassar é bem mais funcional do que tentar montar um armário com roupas de cores neutras sem estampas. eu gosto da ideia do minimalismo, mas em partes, ao meu ver muitas vezes são ditadas regras meio que sem sentido, e na realidade ele deve sem adaptado a nossa realidade, sem radicalizar. a princípio, para os apegados e acumuladores é um bom ponto de partida, mas na prática, não tem como não adaptar. suponhamos que uma pessoa resolve se desfazer de vários objetos e roupas que até então eram utilizados em casa por conta desse “estilo de vida” e compra tudo novo na intenção de ser e ter uma decoração minimalista. isso é minimalismo ou consumismo e produção de lixo? me entende? hahahaha a ideia em si é ótima, mas muita gente tem um pensamento superficial e “tumblrficial”. super apoio sua mudança!

    Responder
    • Carol Pinheiro 27 de maio de 2017

      Entendi Ca. Eu me desfiz de roupas com estampas, só tenho duas ou três porque eu comecei a me identificar com um armário mais neutro, com cores que são fáceis de combinar, porque eu não consigo ter uma noção boa de como casar peças. Meu pensamento também mudou, estou cada dia mais “adulta mentalmente” e por isso adotei esse estilo para mim. Eu também concordo com você de estar mais tumblrficial, que muitas pessoas acham que o minimalismo é uma casa com cores neutras e pronto, mas eu penso diferente sabe, eu acredito que devemos nos desfazer daquelas coisas que são inúteis na vida da gente e adaptar o que temos para seguir a vida com o mínimo de inutilidades possível. Acho que deu pra entender né? rs

      Responder
  3. Betânia Duarte 26 de maio de 2017

    Também assisti esse documentário e pretendo falar dele lá no blog em breve, achei sensacional. Acho que a intenção não era ensinar mesmo e sim mostrar casos de vidas minimalistas e talvez fazer com que as pessoas se interessem por esse estilo de vida, o que realmente aconteceu comigo <3
    adorei o post, beijo!

    Sorriso Espontâneo

    Responder
    • Carol Pinheiro 27 de maio de 2017

      Eu também me identifiquei Betânia, acredito que muitas coisas que estavam presentes no estilo de vida das pessoas estão presente no meu estilo. Foi bom assistir e tirar minhas próprias conclusões. Beijo!!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *