Vamos falar sobre AC e métodos contraceptivos

Depois que a Juliana Pinatti Bardella contou sobre sua história no Facebook, muitas meninas ficaram horrorizadas e assustadas com o que uma pequena pílula poderia fazer no corpo da pessoa e ainda, os males que ela poderia oferecer à sua saúde. O relato da Juliana é muito assustador, ela teve uma trombose venosa cerebral, que pode deixar sequelas. Como ela mesmo disse, médicos não alertam sobre os riscos que podem trazer à saúde, e é sobre isso que falaremos a seguir.

10458317_732764426791570_1051388521104260785_n

O que é trombose venosa cerebral?

A trombose venosa cerebral (TVC) acontece mais comumente em mulheres jovens e se dá por alteração na coagulação. Uma série de causas podem desencadeá-la: uso de anticoncepcional oral, distúrbios congênitos e adquiridos da coagulação, infecções em regiões próximas das veias do cérebro (sinusites, mastoidites, otites), traumatismos.

Quando a trombose ocorre em uma veia intracraniana, há um infarto venoso. O sangue continua a chegar ao cérebro, mas encontra dificuldade em sair, congestionando o fluxo sanguíneo na rede capilar e, posteriormente, nas arteríolas. O tecido cerebral naquela região deixa de ser irrigado adequadamente e pode sofrer um infarto. Como as artérias continuam desobstruídas, o suprimento sanguíneo na região não cessa e teremos o extravasamento de sangue no leito vascular infartado. É o infarto com transformação hemorrágica.

As queixas mais frequentes dos pacientes com TVC são cefaleia persistente por vários dias e que se agrava ao longo do tempo, crises convulsivas, alteração da visão, sensação de pulsar do coração dentro da cabeça, além de déficits sensitivos e motores.

Bem, você já sabe o que é a trombose, bem assustador né? Mas eu lanço a pergunta: Porque você toma a pílula? 

Ah, eu tomo para evitar a gravidez indesejada..

Ah, eu tomo porque o médico me indicou para um tratamento contra o câncer e outros males..

Se a sua resposta for a primeira, você não sabe nada sobre métodos para evitar a gravidez e com certeza tomou por conta própria.

Você sabe o que é o AC? 

pilulaanti

O anticoncepcional hormonal combinado oral (AHCO) ou pílula anticoncepcional é um comprimido que tem em sua base a utilização de uma combinação de hormônios, geralmente estrogênio e progesterona sintéticos, que inibe a ovulação. O anticoncepcional oral também modifica o muco cervical, tornando-o hostil ao espermatozoide.

O uso desse método contraceptivo deve ser indicado pelo médico ginecologista, pois somente após análise é possível indicar qual a pílula adequada ao seu organismo.

O método contraceptivo oral é a prática de prevenção mais utilizada atualmente. Além da contracepção, a pílula anticoncepcional também é utilizada na terapia de algumas doenças que acometem uma parcela das mulheres. Na parte clínica, os métodos contraceptivos são usados para o tratamento de sintomas de patologias, tais como sangramentos irregulares, cólicas menstruais, TPM, diminuição do fluxo menstrual, endometriose e síndrome dos ovários policísticos, câncer de mama, de ovário, anemias severas, acne severa. Veja um breve vídeo explicando sobre a pílula aqui.

Mas antes de usar o método, você deve fazer exames para buscar a causa das suas doenças, por exemplo:

  • Acne não deve ser tratada com AC como primeira escolha. Vá ao médico para saber mais sobre sua doença, porque ela pode estar associada à sua alimentação, o tipo de vida que você tem e isso deve ser tratado inicialmente com um dermatologista com exames.
  • Alteração de humor também não deve ser associada à tpm e tratar inicialmente com AC, você deve saber a causa antes e tratar com um psicólogo.

A pílula deve ser administrada com todo cuidado e você deve ir a vários médicos para saber quando e porque usar, como citado acima, a pílula deve ser usada para tratar algumas doenças que no caso, usando outros remédios não dariam certo. Mas porque muitas meninas tomam sem conhecimento?

A maioria toma por conta da gravidez indesejada, é muito comum todas comprarem sem orientação médica ou até, irem ao médico pedir a pílula para esse fim. Meninas, por mais que seja bom transar sem camisinha e não se preocupar com a gravidez, é um grande risco à sua saúde. Muitos médicos não citam os efeitos colaterais que a pílula pode causar ao seu corpo, simplesmente receitam para tratar a menstruação ou evitar a gravidez e não solicitam exames para saber se o seu corpo está preparado para tomar e os males que isso poderá causar no seu futuro. Eu entendo muito bem todas as mulheres que tomam para esse fim, mas temos outros métodos que dão certo e trazem menos riscos para a sua saúde.

A revista superinteressante publicou no ano passado uma matéria falando sobre pesquisas feitas e os males que o AC podem trazer à saúde se usado incorretamente. Abaixo um pequeno trecho:

“Em 2010, pesquisadores já haviam documentado que a pílula oral altera algumas partes do cérebro envolvidas na regulação do humor. No entanto, eles haviam descoberto que determinadas regiões tinham aumentado de tamanho. Apesar de preocupante, já era de se esperar que a pílula provocasse efeitos negativos no cérebro. Afinal, hormônios sexuais, como o estrogênio, influenciam (e muito) o sistema nervoso da mulher. Esta não é a primeira vez que um estudo revela os males dos anticoncepcionais. Uma pesquisa recente descobriu que mulheres que tomam contraceptivos orais combinados (aqueles que combinam diversos tipo de hormônios) têm um risco de trombose venosa quadruplicada em relação àquelas que não tomam pílulas.”

É muito assustador ver que você pode estar se prejudicando sem o conhecimento adequado em relação à pílula que toma. Sei o quanto é difícil tratar esses assuntos com os pais, a maioria ainda tem um pouco de receio ao falar sobre sexualidade, mas é fundamental você pesquisar relatos sobre o que as pessoas sentem em relação às pílulas.

Existem vários métodos que podem ser substituídos pela pílula (para evitar a gravidez) e que não te prejudicaria. Veja.

Camisinha

Camisinhas

O uso da camisinha, desconsiderando a abstinência sexual, é o único método contraceptivo capaz de prevenir a AIDS e mais uma gama de doenças sexualmente transmissíveis, quando utilizada em todas as modalidades sexuais (genital, oral e anal). Para garantir a segurança é importante se atentar ao prazo de validade e jamais usar vaselina ou outro tipo de óleo para lubrificação, prefira lubrificantes à base de água ou camisinhas já lubrificadas.

A camisinha deve ser colocada quando o pênis estiver ereto, antes da penetração. É importante você nunca abrir a embalagem com tesoura ou outros objetos cortantes. Após a retirada da embalagem, coloca-se a camisinha sobre o pênis, sem deixar que entre ar. Como medida de segurança, pressione ou dê uma leve torcida na ponta desta com uma mão; enquanto desenrola a camisinha com a outra mão. O preservativo deve cobrir todo o comprimento do pênis, até sua base (próximo aos pelos).

Importante: também é necessário evitar a entrada de ar enquanto desenrola a camisinha no pênis, já que isso propicia seu rompimento. Caso ocorra, deverá ser feita a substituição.

Após o uso, tire com o pênis ainda ereto.

Importante: dar um nó na abertura da camisinha evita a possível contaminação do lixo, protegendo o ambiente e pessoas que poderão manuseá-lo. Além disso, a camisinha não deve ser jogada no vaso sanitário, pois poderá entupi-lo.

Outra coisa, vale lembrar que você deve usar a camisinha já nas preliminares, pois há riscos do liquido seminal conter espermatozóides, mesmo sendo pequena a chance, se você está fértil, poderá acontecer uma gravidez indesejada.

Ah, mas eu não curto camisinha, incomoda. Temos outros dois métodos.

DIU e SIU

DIU

Dispositivo intrauterino (DIU) e Sistema intrauterino (SIU – também conhecido como DIU medicado ou DIU Hormonal) são,  como o nome já diz, sistemas ou dispositivos que devem ser inseridos por médicos, dentro do útero. A grande vantagem destes métodos é a comodidade posológico e a alta eficácia, que pode proteger a mulher durante 5 a 10 anos, dependendo do produto.

Qual a diferença entre os dois?

Ambos impedem a penetração e passagem dos espermatozóides, não permitindo seu encontro com o óvulo. A grande diferença é que o DIU é feito de cobre, um metal, e não possui nenhum tipo de hormônio, enquanto o SIU libera um hormônio dentro do útero. Além do efeito contraceptivo, o hormônio pode apresentar outros efeitos, como reduzir o fluxo menstrual.

Qualquer mulher pode utilizar o DIU/SIU?

Não, existem poucas situações em que o DIU e o SIU são contra indicados. A escolha do melhor método para cada tipo de mulher deve ser feita sob orientação médica, após a discussão e avaliação das suas necessidades e preferências.

 Quais efeitos colaterais posso sentir ao usar um DIU/SIU?

Entre os efeitos colaterais mais comuns estão as alterações do fluxo menstrual.

O DIU, por não conter hormônio, provavelmente não irá alterar a frequência das menstruações, porém poderá causar um fluxo menstrual mais intenso e possível aumento das cólicas menstruais no primeiro trimestre. O SIU, devido a liberação local do hormônio, costuma diminuir a intensidade do fluxo e duração das menstruações e, após 6 meses de uso, 44% das usuárias param de menstruar.

Saiba mais sobre DIU aqui.

E por fim, se você já for casada e não deseja ter filhos, poderá conversar com seu parceiro e sugerir a vasectomia, saiba mais sobre isso aqui.

Antes de usar qualquer outro método a não ser a camisinha, procure um médico de confiança e sugira à ele a possibilidade de colocar DIU/SIU ou de iniciar um processo de preparação para a vasectomia (no caso do homem). É muito importante pesquisar sobre tudo nessa vida e principalmente tirar todas as dúvidas com um profissional da saúde. Espero que eu possa ter tirado um pouco de dúvidas em relação à outros métodos contraceptivos e que vocês optem por esses métodos caso o seu interesse seja somente não engravidar. 

Tenho outra postagem falando sobre o AC no blog, sobre o meu desejo de não ter filhos e como me cuido com a camisinha e com um aplicativo. Saiba mais aqui.

Um beijo e cuide – se.

Fontes: Superinteressante, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, GinecoMD. Saúde e Brasil Escola.

 

 

 

2 Comments

  1. Marcia 10 de agosto de 2016

    Ai Carol, fiquei sabendo do caso dessa menina. Estava tomando pílula mas agora estou seriamente pensando em tomar injeção mensal. Mas tenho dúvidas, será que os efeitos colaterais são muito fortes? Procurei saber mais, mas só achei esse site com a bula do medicamento http://cyclofemina.com.br/, que não fala especificamente sobre isso. Ah, parabéns pelo blog! Adoro!

    Responder
    • Carol Pinheiro 10 de agosto de 2016

      Nossa Márcia, não sei sinceramente. Eu vi o link, realmente não fala muito claramente sobre os efeitos. Eu sugiro que você procure um bom especialista e cite esse remédio e pergunte se pode causar alguma trombose ou coisa do tipo, porque é muito difícil ir somente pela bula, confiar né. Fico feliz que está gostando do meu blog, obrigada de coração Márcia!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *